Artículo

CONFIANÇA E REPUTAÇÃO, DOCES COLONIAIS E QUEIJO SERRANO: PERCEPÇÕES DE QUALIDADE DE ALIMENTOS TRADICIONAIS EM CONTEXTOS DE PROXIMIDADE ENTRE AGRICULTORES E CONSUMIDORES

Este trabalho toma como ponto de partida a observação das tendências da alimentação contemporânea, do lugar que nelas encontram os processos de valorização de produtos locais, artesanais, tradicionais e de suas interfaces com modos de vida de famílias rurais produtoras desses alimentos para conduzir o olhar aos significados da confiança em contextos marcados por relações próximas entre produção e consumo de alimentos. Distintamente do que ocorre em contextos em que a qualidade é estabelecida a partir de critérios normatizados por agentes externos, nos casos estudados – o do Queijo Serrano, produzido na região dos Campos de Cima da Serra, e o de doces de frutas da região de Pelotas, ambas localizadas no Estado do Rio Grande do Sul, ao sul do Brasil – notamos que as percepções acerca da qualidade dos produtos são pautadas em relações de confiança e na reputação dos produtores e, desse modo, conformadas localmente, a partir de parâmetros socialmente construídos. Nessas circunstâncias, confiança e reputação dos produtores apresentam-se como mecanismos de validação social da qualidade dos alimentos, sobrepondo-se mesmo àqueles estabelecidos a partir dos instrumentos de normatização do Estado, conformando algo como um sistema informal de certificação da qualidade.