Artículo

Brasileirinhos na Europa: estratégias para uma construção identitária brasileira no exterior

Esta comunicação apresenta resultados parciais da pesquisa que está em andamento no doutorado de Antropologia Social e Cultural da Universidade Autônoma de Barcelona (ES), em que busco analisar os perfis socioculturais dos imigrantes brasileiros e brasileiras que constituem associações no estrangeiro, com a motivação de promover a chamada “Língua de Herança” para seus filhos. Estas associações estão localizadas em várias cidades da Europa e do mundo onde há a presença desta imigração. São associações constituídas por brasileiros (as) que vivem no exterior com seus filhos e afirmam ter como objetivo reunir as famílias em torno da aprendizagem e da conservação do que chamam “língua e cultura brasileira”. Busco explorar as conceptualizações e imaginários sobre a cultura e língua de origem elaborados e transmitidos por esses agentes, assim como observar os novos formatos de atuação política em nome de projetos de identidade e diferença em contextos migratório e de mobilidades envolvendo brasileiros. A partir disto, apresentarei a mobilização de iniciativas que promovem o ensino da língua e cultura brasileira na Europa, um movimento em que mães brasileiras vêm protagonizando e dizem querer “florescer o sentimento de brasilidade, despertando nelas (os brasileirinhos) o prazer e o orgulho de também serem brasileiras”. Tal cenário encontrado, leva-me a pensar que a realização de tais projetos não são somente um momento de socialização para seus filhos, mas também uma forma de legitimar, visibilizar e empoderar as mulheres e mães brasileiras no contexto migratório. 
(*)El autor o autora no ha asociado ningún archivo a este artículo